Construindo uma ponte educacional entre a China e os Estados Unidos

Notícia

Construindo uma ponte educacional entre a China e os Estados Unidos
Fabio Reis

Construir uma ponte educacional de mão dupla entre os Estados Unidos e a China é o que Tom Watkins sonhou.

É "para a melhoria dos estudantes e da sociedade", disse Watkins, ex-superintendente de escolas do estado de Michigan, à Xinhua, do jornal China Daily.

Desde que um professor de escola primária despertou seu interesse pela China, Watkins dedicou sua vida a construir pontes, econômica, cultural e educacionalmente, entre a China e os Estados Unidos. "Uma das melhores maneiras de construir relacionamentos e forjar uma visão compartilhada e uma agenda comum é em torno da educação", diz ele.

Ele trabalhou com o Instituto Confúcio para trazer professores chineses para os EUA, convidou diretores chineses, professores do ensino básico e de universidades e presidentes para conferências nos Estados Unidos.

Enquanto isso, ele visitou inúmeras escolas e universidades chinesas. "A China tem uma longa e rica história de educação com seu povo... O conceito de trabalho em equipe, tolerância, cooperação e harmonia são fortes habilidades que os estudantes obtêm como parte da sociedade e da educação chinesa", disse ele à Xinhua.

"Os estudantes chineses são, em geral, mais comportados, calmos e complacentes na sala de aula", acrescentou ele, o que raramente é visto no mesmo nível da educação ocidental.

Mas, diante de tudo isso, ele admite: "nem o sistema de educação dos EUA nem da China tem todas as respostas", os dois países deveriam aprender uns com os outros.

As estatísticas divulgadas pelo Instituto de Educação Internacional dos EUA em novembro de 2017 mostram que no ano letivo de 2016-17, os estudantes da China continental que estudam nos EUA chegaram ao número de 350.755, um aumento anual de 6,8% e representando 32,5% do total de estudantes internacionais nos Estados Unidos. A China tornou-se a maior fonte de estudantes estrangeiros para faculdades e universidades americanas por oito anos consecutivos.

Essa direção unidirecional levou Watkins a fazer algo: trazer a essência da educação dos EUA para a China.

Ele se tornou um parceiro da Way American School, uma empresa educacional inovadora nos Estados Unidos que faz parceria com as Bright Scholar Schools da China para oferecer o melhor da educação chinesa e americana a estudantes que moram na China.

A parceria provou ser um programa suplementar ao currículo chinês padrão e equipou estudantes chineses com a base acadêmica crítica e os conjuntos de habilidades necessários para obter sucesso em sua futura busca pelo ensino superior, tanto no país quanto no exterior.

Ao construir uma ponte educacional, Watkins também pretende forjar uma compreensão mais profunda entre chineses e americanos.

"A relação entre a China e os EUA é, e continuará sendo, o relacionamento bilateral mais importante do planeta", diz Watkins. "Criar maneiras de fortalecer o vínculo de nossas nações por meio da educação é um bom presságio para os EUA, a China e toda a humanidade".

Agora atuando como diretor administrativo das operações da China na Way American School, Watkins se mudará para a China em tempo integral neste verão. "Não há nada mais importante para o indivíduo, família e sociedade do que a educação de nossa juventude. Isso é verdade, independentemente de você ser chinês ou americano."

 

Publicado originalmente em China Daily.